Shantala
logo_espaco_corpo_vital

Rua Dr. Cardos de Almeida, 623 - Centro

Botucatu/SP  Tel: (14) 3814 7695 / 9776 3258

 

shantalaShantala é uma massagem milenar indiana. A arte foi difundida no ocidente pelo médico obstetra francês Frederick Leboyer. Em uma de suas viagens à India, observou uma mulher chamada SHANTALA fazendo a massagem em seu bebê. Maravilhado com a cena e com a sintonia entre eles, se encantou com a força e a beleza de um momento de amor e troca entre mãe e seu bebê, Leboyer fotografou e filmou o momento, estudou os benefícios e divulgou a arte!

Sua essência é de trazer ao recém-nascido lembranças de sua vida intra uterina, através do toque, dos movimentos, dos sons…

A Shantala consiste em movimentos lentos para acariciar a pele e alongar o corpinho do bebê (peito, braços, mãos, barriga, pernas, pés, costas e rosto) e toque firme, de modo que a mãe sinta a musculatura do bebê, mas a intensidade precisa ser confortável para os dois. Pode e deve ser aplicada diariamente.

O principal objetivo dessa massagem é ampliar os momentos de contato com o seu filho e fortalecer o vínculo entre vocês. Portanto, não se preocupe demais com a técnica. Cada bebê é um indivíduo e o seu sinal de satisfação é o melhor indício para saber se os movimentos estão adequados.
A única recomendação é fazer a massagem em seu bebê somente se você estiver se sentindo tranquila e relaxada. O estado emocional de quem aplica a shantala influencia o bem-estar do pequenino. Por isso, em dias tensos, a sugestão é que, antes de colocar as mãos no bebê, a mãe tome um banho relaxante, respire fundo e fique em silêncio.

Prepare o ambiente, defina um horário adequado para que a shantala entre na rotina do bebê, desde que a criança não esteja com sono, com fome ou chorando muito. Também é desaconselhável começar uma sessão logo depois da mamada, é importante esperar de meia hora a uma hora depois que o bebê mamou, tudo para evitar que o pequeno regurgite.
Para as crianças que têm refluxo, é sempre bom colocar uma almofada sobre as pernas da mãe para que a cabecinha não fique tão baixa. Além disso, procure se proteger com uma fralda, afinal, quando o bebê relaxa, o intestino tende a funcionar.
Como a criança deve ser massageada sem roupa, o ambiente deve estar aquecido, com uma temperatura agradável, principalmente no inverno. E aqueça as mãos em água morna antes de tocá-lo.
Indicado usar óleo vegetal puro, prefira os de farmácias de manipulação, ajuda a esquentar as mãos e facilita o deslizamento pelo corpo da criança.
Vale reservar um tempo só para a shantala, de modo que a mãe não seja interrompida e possa seguir o passo-a-passo da técnica até o fim.
Se o bebê estiver gripado, com febre ou outro sintoma, a prática deve ficar suspensa. Caso ele durma, deixe a massagem para outro momento. Especialmente no verão, se a pele dele estiver sensível ou com brotoejas, evite a massagem e o uso de óleo.

Os benefícios da Shantala são muitos. O já citado aumento do vínculo mãe-bebê ocorre quando ao longo da massagem a mãe vai notando as respostas do bebê, conhecendo melhor o seu corpinho e percebendo suas limitações. Podemos citar ainda como benefícios: aprimora o tônus do recém nascido; fortalece musculatura de tórax; aumento da circulação sanguínea e linfática fazendo todos os órgãos funcionarem melhor inclusive sistema gastrointestinal reduzindo cólicas, gases e desconfortos abdominais muito comuns nos bebês; auxilia no desenvolvimento sensório-motor, crianças com melhor organização de consciência corporal; prevenção de problemas respiratórios.

Originalmente, a shantala era realizada pela mãe, mas, no Brasil, os terapeutas estimulam os pais e as pessoas próximas a também praticar a técnica.
Na sociedade indiana as mães passam a maior parte do dia com seus filhos no colo, onde quer que vão levam eles consigo. Em sua grande parte não trabalham fora e seu foco é o lar e os filhos. Já a mulher ocidental trabalha fora, cuida da casa, de sua carreira, dos filhos, tem que estar sempre em dia com a aparência…enfim… Levando-se em conta as diferenças socioculturais há projetos nos países ocidentais de aplicação da shantala dentro do berçário, uma vez que é ali aonde as crianças passam a maior parte do seu dia. Ainda são poucos estabelecimentos no Brasil que são abertos a essa ideia e têm a sensibilidade de oportunizar aos seus clientes esta dádiva. A shantala no berçário não visa substituir a massagem da mãe e, sim difundir este conhecimento para as mamães e aumentar o número de vezes que a criança recebe a massagem. Deve ser aplicada por profissional capacitado.

Se o bebê já está engatinhando ou até mesmo andando e não quer mais saber de ficar parado durante toda a shantala, não se desespere. Isso é normal e não quer dizer que ele não voltará a curtir longamente a massagem. Essa mudança de comportamento corresponde a fase de desenvolvimento psicomotor do pequeno. Ele acabou de descobrir que consegue ir de um lado para o outro sem que alguém o leve e está ansioso para desbravar essa nova conquista.
Assim como outras atividades, a Shantala deve ser adaptada aos diferentes momentos do desenvolvimento das crianças. Nos próximos meses, fragmente a massagem e aproveite para fazer dela uma brincadeira. Por exemplo, faça nos bracinhos durante o banho, no peito e na barriga durante uma troca de fralda, nas perninhas e costas em um momento que o bebê estiver mais relaxado, e ensine o nome das partes do corpo durante os movimentos.
Ao mesmo tempo, fique atenta e ofereça momentos da shantala mais contínuos, pois, quando você menos esperar ele já estará se entregando por mais tempo de novo.
Não existe idade máxima para fazer shantala, pode fazer em crianças grandes da mesma forma.

PASSO-A-PASSO SHANTALA (By mamãe e bebê Natura):

 

shantalashantalashantalashantalashantalashantalashantala

 

Our website is protected by DMC Firewall!